Inteligência Artificial: Você já ouviu falar?

Por: Renata Mello

artificial-intelligence-3683774_960_720

Fonte: Pixabay
PORTUGUÊS
Como o próprio nome sinaliza, trata-se da inteligência vinda das máquinas. Essas compilam dados humanos em âmbito pessoal e coletivo para formar uma base de dados poderosa, que certamente vem impactando a vida das pessoas e será ainda mais tangível no futuro.
Cientes da relevância deste assunto para o meio acadêmico, a Universitat Internacional de Catalunya – UIC convidou a presidente da Microsoft Espanha, a senhora Pilar López Álvarez, para expor sobre este assunto durante a abertura do ano acadêmico 2018-2019. 
Nesta ocasião destacou as oportunidades e responsabilidades em se trabalhar com dados pessoais e coletivos. Citou que assuntos como privacidade e segurança das informações captadas devem estar a frente dos que trabalham com este processo.
A partir do uso responsável e ético dos dados, afirma que essa revolução pode trazer muitos benefícios. Pilar cita como exemplo, o caso das pessoas que possuem algum tipo de deficiência. Estas poderão ver atendidas parte das suas necessidades, antes inimagináveis.
Além disso, essa importante revolução tecnológica já vem rompendo fronteiras entre as pessoas de diferentes nacionalidades, permitindo em tempo real a tradução em diferentes idiomas. Essa tecnologia ainda está embrionária, mas poderá evoluir muito neste sentido.
Sobretudo, a palestrante acredita que a inteligência artificial poderá potencializar a inteligência humana, compreendendo que esta será uma das maiores benesses. Lança aos docentes, o desafio de conciliar todos esses avanços no processo de ensino e aprendizagem.
Os desafios e as oportunidades neste novo cenário são diversos. Cabendo cada indivíduo utilizar a tecnologia com responsabilidade. Que venham estes novos avanços!

 

¿Has oído hablar de la Inteligencia Artificial?

ESPAÑOL
Como el propio término señala, se trata de la inteligencia que proviene de las máquinas. Éstas recopilan datos humanos en un ámbito personal y colectivo para formar una poderosa base de datos que ciertamente va impactando en la vida de las personas y cuyos efectos serán aún más tangibles en el futuro.
La Universitat Internacional de Catalunya – UIC invitó a la presidenta de Microsoft España, la señora Pilar López Álvarez, a exponer sobre este asunto durante la apertura del año académico 2018-2019, conscientes de la relevancia de este asunto para el medio académico.
En esta ocasión destacó las oportunidades y responsabilidades en el trabajo con datos personales y colectivos. Asuntos como la privacidad y la seguridad de la información captada deben estar al frente de los que trabajan con este proceso.
A partir del uso responsable y ético de los datos, afirma que esta revolución puede traer muchos beneficios. Pilar cita como ejemplo, el caso de las personas que poseen algún tipo de discapacidad. Estas podrán ver atendidas parte de sus necesidades de modo antes inimaginable.
Además, esa importante revolución tecnológica ya viene rompiendo fronteras entre las personas de diferentes nacionalidades, permitiendo en tiempo real la traducción en diferentes idiomas. Esta tecnología todavía es embrionaria, pero puede evolucionar mucho en este sentido.
Especialmente, la oradora cree que la inteligencia artificial podrá potenciar la inteligencia humana, comprendiendo que éste será uno de los mayores beneficios. Lucha de los docentes, el desafío de conciliar todos estos avances en el proceso de enseñanza y aprendizaje.
Los desafíos y las oportunidades en este nuevo escenario son diversos. Compete a cada individuo utilizar la tecnología con responsabilidad. ¡Que vengan estos nuevos avances!
Anúncios

Toulouse-Lautrec: Moulin Rouge

Por: Renata Mello

Moulin Rouge

Foto: Capa do filme Moulin Rouge (1952)

O pintor francês Henri de Toulouse-Lautrec (1864-1901) foi um importante artista do final do século XIX. Nascido em uma família abastada, teve uma boa formação intelectual e conhecimento dos códigos de conduta formais da época. Isso o ajudou no convívio com a burguesia quanto com o proletariado e artistas.

Seu trabalho se destacou por retratar a vida boêmia dos bordéis e cabarés, principalmente daqueles localizados no agitado bairro de Montmartre em Paris. Nesta região se localiza até hoje o famoso Moulin Rouge que na época possuia apresentações de cancan e bailes animados voltados aos burgueses e suas acompanhantes.

Henri costumava ir até o local para beber e captar as cenas cotidianas através dos seus croquis. Esse material coletado a noite, lhe servia de base para a criação de suas pinturas e posteriormente para o desenvolvimento de cartazes publicitários dos espetáculos, que se tornaram muito conhecidos.

Fisicamente o artista se destacava também por sua baixa estatura, decorrente de problemas nos ossos das pernas, que o impediram de ter um desenvolvimento adequado. Essa particularidade física o incomodava e muitas vezes o inibia no contato amoroso. Para suprir esse desconforto emocional, se apoiava muito na bebida. 

O excesso de álcool e a vida intensa de boemia encurtou sua vida, vindo a falecer prematuramente aos 37 anos. Apesar de morrer precocemente, deixou uma obra expressiva, que retrata a intimidade de prostitutas, dançarinas e a vida noturna fervilhante de Paris no final do século XIX. 

Para imergir nesta biografia é possível assistir o filme Moulin Rouge de John Huston do ano de 1952. A obra foi vencedora de 2 Oscar´s (fotografia e direção de arte) e permite uma compreensão da vida e obra deste importante artista francês.

Vale a pena conferir!

Em foco: Arte e Design

Por: Renata Mello

Nas últimas semanas de Agosto, a cidade de São Paulo recebeu inúmeros eventos ligados a arte e ao design, agraciando os apreciadores destes segmentos. Ocorreu a ABCasa Fair, a SP-Arte foto e a Design Weekend. Esta última com eventos espalhados por toda a cidade.

Foram inúmeras novidades apresentadas! Confira a seguir um balanço de cada evento:

. ABCasa Fair: A feira contou com expositores ligados aos segmentos de presentes, utensílios domésticos e decoração. Como novidade trouxeram muitos acessórios ligados ao mundo Geek, como esculturas e luminárias.

Já os quadros figurativos foram marcantes no universo da decoração retratando através de fotos, os animais silvestres, as cenas urbanas ou os elementos geométricos, muitas vezes com imagens compostas em mais de uma peça .

Os painéis com mensagens curtas e pontuais também se destacaram, trazendo uma proposta mais despojada para os ambientes. Além disso, foi possível encontrar diversos elementos que remetessem a asas de anjo ou de borboleta e os rosados flamingos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

(+) fotos no instagram: @renatamello.blog
Fotos: Renata Mello

. SP- Arte foto: Essa mostra de fotografia ocorreu no JK Iguatemi e movimentou o mercado das galerias e museus de arte. Quem circulou pelos espaços pôde conferir muitas fotografias oriundas de processos experimentais. A artista Paula Clerman compôs sua obra a partir da desconstrução da paisagem para recriar uma nova, fundamentada nas linhas compositivas. Já Guilherme Ghisoni criou suas imagens com base em pesquisas ligadas a filosofia da fotografia. Como resultado construiu obras que retratam o somatório da parte e do todo ao mesmo tempo. 

O Gabriel Wickbold usou como base rostos associados a elementos naturais como flores e frutos para criar fotos marcantes e expressivas. Outro fotógrafo de destaque foi Robério Braga que trouxe a força e a beleza da mulher e sua conexão com o espaço arquitetônico. Em paralelo o artista David LaChapelle manteve sua irreverência e ousadia para compor imagens únicas, alinhadas ao seu estilo artístico.

Este slideshow necessita de JavaScript.

(+) fotos no instagram: @renatamello.blog
Fotos: Renata Mello

. Design Weekend – SP: Os eventos ocorridos durante a semana compreendida entre os dias 29/08 a 02/09 agitaram a vida dos arquitetos, artistas e designers. Foram mais de 300 atividades em 120 locais. Lógico que foi humanamente impossível passar por todas as instalações.

Dentre os diversos acontecimentos foi possível conferir o espaço da By Kamy, da Ornare, da Estar Móveis Conceito e da Feira Rosenbaum. Cada local apresentou algo muito particular.

A By Kamy trouxe como linha de frente a tapeçaria voltada exclusivamente para a decoração de paredes, o Arazzo. Houve o interesse em resgatar estas peças como obras de arte. Os trabalhos expostos foram baseados principalmente nos quadros de Tarsila do Amaral e de Gilvan Samico.

A Ornare, loja de móveis, utilizou sua matéria prima como pano de fundo em obras de arte no formato de coração em uma ação focada ao bem. No coquetel promovido pela empresa, diversos convidados puderam adquirir os corações em uma ação beneficente.

A Estar Móveis Conceito trouxe uma proposta bem arrojada em sua mostra “Emergência”. Foi destacado questões ligadas ao imediatismo vivido pelas pessoas e como essa demanda de urgência impacta no ser humano negativamente. Destacaram o uso excessivo dos medicamentos; os desequilíbrios emocionais e como tudo isso têm se refletido na produção artística.

Já a feira Rosenbaum ocorreu na “A CASA – museu do objeto brasileiro” e como não podia ser diferente, a brasilidade marcou fortemente a edição. Muitas peças expostas foram produzidas pelos moradores da região amazônica, outras por designers brasileiros preocupados no resgate das madeiras nobres e típicas do país, entre outras propostas.

Cores e texturas ligadas ao DNA da nação marcaram os produtos apresentados por artesões e artistas de todas as regiões. A gastronomia não ficou fora dessa, destacando os pães de queijo mineiro saídos na hora, para que a viagem pelo Brasil ficasse completa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

(+) fotos no instagram: @renatamello.blog
Fotos: Renata Mello

Em breve mais novidades!

Gestão Urbana e Sustentabilidade

Por: Renata Mello

“Gestão Urbana e Sustentabilidade” é a temática do livro organizado por Gilda Collet Bruna e Arlindo Phillip Jr. que será lançado pela editora Manole no próximo dia 13 de Setembro na Universidade Presbiteriana Mackenzie em São Paulo.

Esta publicação contou com a participação de 74 autores, entre eles a arquiteta Renata Lima de Mello que foi responsável pelo capítulo “Cidade para as pessoas: da acessibilidade, do desenho urbano e universal”. Neste trabalho a profissional compilou seus conhecimentos adquiridos ao longo de 18 anos na área da acessibilidade abordando aspectos relevantes para o planejamento urbano.

O lançamento dessa obra acadêmica é aberto a todos os interessados e contará com uma mesa redonda onde os autores apresentarão pontos relevantes do universo da sustentabilidade e gerenciamento das cidades. Vale a pena conferir!

Convite GU&S_2018

Fonte: Editora Manole

Psicologia das cores

Por: Renata Mello

girl-2696947_960_720

Foto: Pixabay
As cores estão presentes no dia a dia das pessoas compondo as paisagens naturais e os ambientes construídos. Elas interferem tanto na emoção como na razão, variando conforme o contexto cultural nas quais estão inseridas.
Esse é um tema muito instigante e é tratado no livro ” A psicologia das cores” de Eva Heller em que são discutidos os universos: subjetivo e objetivo das cores a partir de pesquisa realizada juntos aos cidadãos alemães. Se essa investigação fosse aplicada em outra comunidade, os resultados poderiam ser diferentes, pois os valores, costumes e tradições interferirem na interpretação de cada cor.
Mas independente das variações culturais, a maior parte dos indivíduos são impactados pelas cores, até algumas pessoas com deficiência visual relatam que apesar de não enxergarem sentem vibrações distintas conforme a cor refletindo diretamente nas suas percepções.
Desta forma, os publicitários, arquitetos, estilistas, artistas e demais profissionais que trabalham com a composição cromática costumam estudar com profundidade esse universo para propor projetos, produtos ou obras adequados para cada demanda.
Independente do grau de conhecimento técnico sobre o tema, cada indivíduo possui uma leitura intuitiva sobre as cores. Ao se falar na cor amarela, o que vem a mente? Muitos podem responder: o Sol. O que o Astro rei traz como simbologia? Calor, verão, alegria. Essas interpretações são compatíveis com a cor amarela. Sabendo disso, o mercado publicitário cria embalagens de protetor solar com essa cor. O setor de cervejas adota muitas vezes esta coloração em suas campanhas.
A mesma reflexão pode ser feita para as demais cores, veja o caso do verde. O verde remete a natureza, a verdura, ao natural, ao saudável. Sendo assim, empresas com a preocupação voltada a esses elementos compõem suas logomarcas com tons de verde. Além disso, essa cor também remete a tranquilidade e ao equilíbrio, sendo muito utilizada em quartos de dormir.
O azul está associado ao céu, ao infinito e a paz; o laranja ao próprio fruto, ao sabor cítrico e a diversão; o violeta a flor, ao místico e a espiritualidade. O branco no ocidente, traz a paz e o preto a sofisticação ou o luto, entre outras possibilidades.
Esse universo das cores é muito rico e não acaba nesta discussão, cabendo mergulhar em outras leituras que abram ainda mais esse horizonte. Bons estudos!!!

Festival: mObgraphia 2018

DSCN5609

Foto: Renata Mello, 2018

 

Por: Renata Mello
O mObgraphia 2018 é a quinta edição do festival dedicado a produção de fotografias com smartphones. Para coroar o início das atividades, na sexta (20) ocorreu no MIS – Museu da Imagem e do Som – o anúncio dos vencedores ao prêmio mObgraphia 2018* nas 6 categorias abertas: arte; documental; paisagem; preto & branco; retrato e street. 
Os convidados da noite de abertura puderam apreciar a poética visual das obras premiadas. Essas fotografias estão disponíveis para contemplação pública nos meses de Abril e Maio no MIS/SP. Vale a pena conferir!
Em paralelo ocorrerão exposições exclusivas na Biblioteca Mario de Andrade de 1 de Maio a 17 de Junho e fórum de educação visual no início de Junho neste mesmo local.
Além disso, o festival contará com a ação social: “Mobgraphia Inclusiva” promovendo oficinas nos CEUS da capital ao longo do mês de Maio, com o intuito de democratizar a prática de retratar as cenas da vida utilizando smartphones.
Com todas estas ações simultâneas, o mObgraphia via reforçar o poder dos registros fotográficos através dos celulares como uma forma importante de comunicação no mundo atual. Bora fotografar!
*Para conhecer mais sobre os vencedores do prêmio “mObgraphia 2018” veja no instagram: @renatamello.blog

Gustavo Rosa: Instituto

Por: Renata Mello

O artista plástico Gustavo Rosa, conhecido por seu valoroso trabalho no contexto da arte brasileira devido as composições cromáticas vibrantes, ineditismo na forma humorada e irreverente de expressar personagens e temas do cotidiano, faleceu em 2013.

Para perpetuar suas obras e sua memória, os familiares decidiram criar em 2016, um Instituto que leva o seu nome. A sede localizada no Jardim Paulista, abriga a antiga residência-ateliê do artista. 

O ambiente dialoga diretamente com as produções de Gustavo, apresentando um clima leve, alegre e descontraído. Ao longo da visitação é possível conhecer as diversas fases produtivas do artista através de suas pinturas e esculturas. 

Para conhecer mais, veja algumas obras selecionadas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Renata Mello, 2018

O Instituto possui inúmeras ações educativas e sociais para trazer a arte ao grande público, estando aberto de segunda a sexta das 9:00hs às 18:00hs e todo primeiro sábado do mês (11-15h). Vale a pena conferir!