Em foco: Paul Cézanne

Por: Renata Mello

young-italian-woman-at-a-table-1475653_960_720

Foto: Pixabay
PORTUGUÊS
Paul Cézanne foi um importante artista francês que viveu entre 1839 a 1906. Ao longo de sua trajetória produziu quase 1.000 pinturas, entre elas, 200 retratos, que expunham a imagem do próprio pintor, familiares, amigos ou conhecidos. Sua esposa, por exemplo, foi tema de 29 de suas produções. Estas pinturas trazem a tona a melancolia, a tristeza ou as inquietudes dos retratados.
Apesar de Paul possuir trabalhos consistentes e alinhados as novas técnicas de seu tempo, viu suas obras sendo rechaçadas pelos Salões Franceses em inúmeros momentos. Essas decepções o levaram a viver cada vez mais isolado e davam mais força para que ele se voltasse apenas as suas pinturas, pois acreditava que a arte era a expressão mais íntima do que somos.
Essa não aceitação dentro do mercado de arte gerou muitos problemas financeiros ao longo de sua vida. Ele não conseguia obter dinheiro suficiente com seu trabalho de artista. Para sobreviver dependia das mesadas de seu pai, importante banqueiro da época, ou de contribuições de amigos. Essas ajudas foram cessadas, apenas com a morte de seu progenitor, que lhe rendeu uma herança que o apoiou depois nos anos seguintes.
Atualmente é tido como um importante artista pós-impressionista e que serviu de referência chave aos pintores modernos, tendo suas pinturas expostas em conceituados museus do mundo. Um reconhecimento pós-morte que ainda ronda a realidade de muitos vanguardistas.
Para conhecer +: Filme “Cézanne: Retratos de una vida”
ESPANÕL
Paul Cézanne fue un importante artista francés que vivió entre 1839 a 1906. A lo largo de su trayectoria produjo casi 1.000 pinturas, entre ellas, 200 retratos, que exponían la imagen del propio pintor, familiares, amigos o conocidos. Su esposa, por ejemplo, fue tema de 29 de sus producciones. Estas pinturas traen a la luz la melancolía, la tristeza o las inquietudes de los retratados.
A pesar de que Paul poseía trabajos consistentes y alineados las nuevas técnicas de su tiempo, vio sus obras siendo rechazadas por los Salones Franceses en innumerables momentos. Estas decepciones lo llevaron a vivir cada vez más aislado y daban más fuerza para que se volviera sólo sus pinturas, pues creía que el arte era la expresión más íntima de lo que somos.
Esta no aceptación dentro del mercado de arte ha generado muchos problemas financieros a lo largo de su vida. Él no podía obtener suficiente dinero con su trabajo de artista. Para sobrevivir dependía de las mesadas de su padre, importante banquero de la época, o de contribuciones de amigos. Estas ayudas fueron cesadas, sólo con la muerte de su progenitor, que le rindió una herencia que lo apoyó después en los años siguientes.
Actualmente es considerado un importante artista post-impresionista y que sirvió de referencia clave a los pintores modernos, teniendo sus pinturas expuestas en prestigiosos museos del mundo. Un reconocimiento post-muerte que aún ronda la realidad de muchos vanguardistas.
Para conocer +: Película “Cézanne: Retratos de una vida”
Anúncios

Monet: O impressionista

Por: Renata Mello

PORTUGUÊS

gardens-monet-1279053_960_720

Foto: Jardins da casa de Monet em Giverny. Fonte: Pixabay

Palavras como superação, imersão e encantamento natural pudem ser expressadas pelos expectadores após assistirem a obra cinematográfica “Los Nenúfares de Monet – La magia de la luz y el água“. Este trabalho retrata a vida e a obra do pintor frânces, Oscar Claude Monet, que viveu entre 1840 a 1926. 

Esse importante artista se destaca por seu olhar apurado sobre a natureza, onde busca reproduzir suas impressões a partir: dos reflexos na água, dos efeitos do ar, da magia das cores e das mudanças da luz ao longo dos dias e estações. 

Suas pinturas eram feitas ao ar livre, independente do clima e se caracterizavam por pinceladas curtas e rápidas para registrar os cenários efêmeros. Esse tipo de técnica era inovadora para a época e foi praticada também por alguns de seus contemporâneos, os quais foram chamados de “Impressionistas”.

Monet costumava escolher uma paisagem para reproduzi-la muitas vezes, podendo com isso registrar as distintas nuances de cor e luz com o transcorrer das horas e dias. Inicialmente caminhava em busca do local a ser retratado. Porém, depois que se muda para a cidade de Giverny começa a criar seu próprio contexto natural.

O artista, nesta cidade francesa, cultiva um jardim composto por flores de variadas formas, aromas e cores que o servirão de inspiração. No entanto, para ele, o cenário não estava completo sem a presença da água. Por isso, criar um projeto para desviar parte da água do rio Sena para sua propriedade.

Com a inserção desse novo elemento em seu jardim, constrói uma ponte estilo japonês e acrescenta lírios de água ao cenário. Atualmente esse local mágico e estimulante aos sentidos é administrado pela Fondation Claude Monet e está aberto a visitação.

Cabe lembrar, que esse contexto domesticado pelo artista se torna tema de inúmeras de suas obras, culminando em suas últimas produções “Los nenúfares” que seriam seu legado a França pós-guerra, como símbolo de paz e esperança e podem ser conferidas no Musée de l’Orangerie. Um interessante ponto turístico para conhecer! 

Monet – El impresionista

ESPAÑOL

Por: Renata Mello

gardens-monet-1279053_960_720

Foto: Jardins da casa de  Monet em Giverny. Fonte: Pixabay

Las palabras como superación, inmersión y encantamiento natural pueden ser expresadas por los espectadores después de asistir a la obra cinematográfica “Los Nenúfares de Monet – La magia de la luz y el água“. Este trabajo retrata la vida y la obra del pintor fránces, Oscar Claude Monet, que vivió entre 1840 a 1926.

Este importante artista se destaca por su mirada apurada sobre la naturaleza, donde busca reproducir sus impresiones a partir: de los reflejos en el agua, de los efectos del aire, de la magia de los colores y de los cambios de la luz a lo largo de los días y estaciones.

Sus pinturas eran hechas al aire libre, independiente del clima y se caracterizaban por pinceladas cortas y rápidas para registrar los escenarios efímeros. Este tipo de técnica era innovadora para la época y fue practicada también por algunos de sus contemporáneos, los cuales fueron llamados “Impresionistas”.

Monet solía escoger un paisaje para reproducirla muchas veces, pudiendo con ello registrar los distintos matices de color y luz con el transcurrir de las horas y días. Inicialmente caminaba en busca del lugar a ser retratado. Pero después de que se cambia a la ciudad de Giverny comienza a crear su propio contexto natural.

El artista, en esta ciudad francesa, cultiva un jardín compuesto por flores de variadas formas, aromas y colores que le serve de inspiración. Sin embargo, para él, el escenario no estaba completo sin la presencia del agua. Por eso, crear un proyecto para desviar parte del agua del río Sena para su propiedad.

Con la inserción de este nuevo elemento en su jardín, construye un puente estilo japonés y añade lirios de agua al escenario. Actualmente ese lugar mágico y estimulante a los sentidos es administrado por la Fondation Claude Monet y está abierto a la visita.

Es importante recordar que ese contexto domesticado por el artista se convierte en tema de innumerables obras, culminando en sus últimas producciones “Los nenúfares” que serían su legado a Francia posguerra, como símbolo de paz y esperanza y pueden ser conferidas en el Musée de l’Orangerie. Un interesante punto turístico para conocer!

Picasso – Picabia: A Pintura em Questão

Por: Renata Mello

picassoypicabia

Foto montagem: Renata Mello, 2018

PORTUGUÊS

A Fundação Mapfre em Barcelona está com a exposição “Picasso – Picabia: La Pintura en Cuestión”. O foco está em apresentar as semelhanças e diferenças entre estes dois importantes pintores do século XX.

A semelhança destes artistas não está só nos nomes, mas também por possuírem almas inquietas sempre em busca do novo. Cada um a sua maneira contribuiu com obras singulares, alinhadas aos discursos sociais e artísticos de seu tempo e são referencias marcantes dentro do campo da arte.

Ambos dominavam muito a técnica de pintura clássica, mas não se limitavam a esse conhecimento. Exatamente por terem este profundo saber, gostavam de experimentar os diferentes estilos de época, não com o interesse de assumi-los, mas para compreende-los e superá-los.

Vale a pena percorrer a exposição e perceber as variações expressivas de ambos ao longo do tempo.

+ fotos no Instagram: @renatamello.blog

 

Picasso – Picabia: La pintura en cuestión

ESPAÑOL

Por: Renata Mello

La Fundación Mapfre en Barcelona está con la exposición “Picasso – Picabia: La Pintura en cuestión”. El foco está en presentar las similitudes y diferencias entre estos dos importantes pintores del siglo XX.

La semejanza de estos artistas no está sólo en los nombres, sino también por poseer almas inquietas siempre en busca de lo nuevo. Cada uno a su manera contribuyó con obras singulares, alineadas a los discursos sociales y artísticos de su tiempo y son referencias marcantes dentro del campo del arte.

Ambos dominaban mucho la técnica de pintura clásica, pero no se limitaban a ese conocimiento. Exactamente por tener este profundo saber, les gustaba experimentar los diferentes estilos de época, no con el interés de asumirlos, sino para comprenderlos y superarlos.

Vale la pena recorrer la exposición y percibir las variaciones expresivas de ambos a lo largo del tiempo.

+ fotos en Instagram: @ renatamello.blog

Casa Batlló: Antoni Gaudí

Por: Renata Mello
PORTUGUÊS
A Casa Batlló é uma parada obrigatória para quem visita Barcelona e é amante das artes e da arquitetura. A construção é de autoria do reconhecido arquiteto modernista catalão Antoni Gaudí (1852-1926).
Essa obra se destaca na paisagem urbana por possuir um estilo próprio, apresentando formas orgânicas inspiradas na natureza. A fachada é multicolorida por ladrilhos e vidros que se harmonizam com os terraços brancos em formato de máscaras. O cenário só muda no dia de “Sant Jordi” (São Jorge), quando flores vermelhas são adicionadas as sacadas em celebração ao santo.
Dizem que a cobertura da casa remete as escamas de um dragão e a cruz de 4 pontas associa-se a espada de São Jorge, por isso esse emblemático edifício muda sua roupagem durante essa comemoração.
Não somente o exterior vale ser apreciado. O interior do edifício é uma viagem surreal que o visitante pode experimentar. Além dos elementos físicos existentes, é possível solicitar um audioguia com realidade aumentada que transmite cenas de como os espaços eram originalmente compostos, permitindo uma imersão mais completa.
A casa é cheia de detalhes. Antoni Gaudí buscou projetar todos os elementos construtivos da casa, desde a maçaneta, os vitrais, os ladrilhos, até os revestimentos da cobertura. O resultado é surpreendente. Vale a visita!
Confira a seguir algumas imagens criadas a partir de fotos extraídas em visita recente a Casa Batlló.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Renata Mello, 2018
ESPAÑOL
La Casa Batlló es una parada obligada para quien visita Barcelona y es amante de las artes y la arquitectura. La construcción es de autoría del reconocido arquitecto modernista catalán Antoni Gaudí (1852-1926).
Esta obra se destaca en el paisaje urbano por poseer un estilo propio, presentando formas orgánicas inspiradas en la naturaleza. La fachada es multicolor por azulejos y vidrios que se armonizan con las terrazas blancas en forma de máscaras. El escenario sólo cambia el día de Sant Jordi, cuando las flores rojas se agregan los balcones en celebración al santo.
Se dice que la cubierta de la casa remite las escamas de un dragón y la cruz de 4 puntas se asocia con la espada de San Jordi, por lo que ese emblemático edificio cambia su ropaje durante esa conmemoración.
No sólo el exterior vale ser apreciado. El interior del edificio es un viaje surrealista que el visitante puede experimentar. Además de los elementos físicos existentes, es posible solicitar un audioguía con realidad aumentada que transmite escenas de cómo los espacios eran originalmente compuestos, permitiendo una inmersión más completa.
La casa está llena de detalles. Antoni Gaudí buscó proyectar todos los elementos constructivos de la casa, desde la manija, los vitrales, los ladrillos, hasta los revestimientos de la cubierta. El resultado es sorprendente. ¡Vale la visita!
A continuación algunas imágenes creadas a partir de fotos extraídas en una visita reciente a Casa Batlló.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Renata Mello, 2018

Em Foco: Isabelle Borges

Por: Renata Mello

DSCN8097a

Foto: Renata Mello, 2018
A artista plástica brasileira Isabelle Borges apresenta uma obra abstrata com forte influência carioca e berlinense devido sua permanência e formação cultural nestas duas cidades.
Seu processo criativo é muito peculiar! Isabelle sempre busca inspiração em um lago localizado em Berlim, onde costuma captar através de fotos, a vegetação que nasce nestas águas. Após esse registro, adota o recurso da colagem, para sobrepor linhas e formas sobre estas fotografias, com o intuito de destacar as principais composições, numa busca incessante de dar ordem ao caos.
Seus trabalhos ora em colagem ora em pintura, trazem sempre a sensação de movimento, numa comunhão entre o tempo e o espaço efêmero. Já suas cores costumam ser sintéticas, como expressa a própria artista. Elas nascem durante um processo muito introspectivo da criadora com sua obra. Nada é premeditado em termos cromáticos. É durante o processo de pintura que as nuances e as cores tomam vida.
Outro ponto marcante de sua produção é que nem sempre suas telas se limitam a este espaço, avançando até os planos arquitetônicos. A foto deste post retrata um exemplo desta conexão entre a arte e a arquitetura e pode ser conferida na exposição “Campos Sintéticos” da galeria Emmathomas até dia 27 de Outubro.
Um trabalho expressivo, que vale a pena conferir!
+ fotos no instagram: @renatamello.blog

Em foco: Arte e Design

Por: Renata Mello

Nas últimas semanas de Agosto, a cidade de São Paulo recebeu inúmeros eventos ligados a arte e ao design, agraciando os apreciadores destes segmentos. Ocorreu a ABCasa Fair, a SP-Arte foto e a Design Weekend. Esta última com eventos espalhados por toda a cidade.

Foram inúmeras novidades apresentadas! Confira a seguir um balanço de cada evento:

. ABCasa Fair: A feira contou com expositores ligados aos segmentos de presentes, utensílios domésticos e decoração. Como novidade trouxeram muitos acessórios ligados ao mundo Geek, como esculturas e luminárias.

Já os quadros figurativos foram marcantes no universo da decoração retratando através de fotos, os animais silvestres, as cenas urbanas ou os elementos geométricos, muitas vezes com imagens compostas em mais de uma peça .

Os painéis com mensagens curtas e pontuais também se destacaram, trazendo uma proposta mais despojada para os ambientes. Além disso, foi possível encontrar diversos elementos que remetessem a asas de anjo ou de borboleta e os rosados flamingos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

(+) fotos no instagram: @renatamello.blog
Fotos: Renata Mello

. SP- Arte foto: Essa mostra de fotografia ocorreu no JK Iguatemi e movimentou o mercado das galerias e museus de arte. Quem circulou pelos espaços pôde conferir muitas fotografias oriundas de processos experimentais. A artista Paula Clerman compôs sua obra a partir da desconstrução da paisagem para recriar uma nova, fundamentada nas linhas compositivas. Já Guilherme Ghisoni criou suas imagens com base em pesquisas ligadas a filosofia da fotografia. Como resultado construiu obras que retratam o somatório da parte e do todo ao mesmo tempo. 

O Gabriel Wickbold usou como base rostos associados a elementos naturais como flores e frutos para criar fotos marcantes e expressivas. Outro fotógrafo de destaque foi Robério Braga que trouxe a força e a beleza da mulher e sua conexão com o espaço arquitetônico. Em paralelo o artista David LaChapelle manteve sua irreverência e ousadia para compor imagens únicas, alinhadas ao seu estilo artístico.

Este slideshow necessita de JavaScript.

(+) fotos no instagram: @renatamello.blog
Fotos: Renata Mello

. Design Weekend – SP: Os eventos ocorridos durante a semana compreendida entre os dias 29/08 a 02/09 agitaram a vida dos arquitetos, artistas e designers. Foram mais de 300 atividades em 120 locais. Lógico que foi humanamente impossível passar por todas as instalações.

Dentre os diversos acontecimentos foi possível conferir o espaço da By Kamy, da Ornare, da Estar Móveis Conceito e da Feira Rosenbaum. Cada local apresentou algo muito particular.

A By Kamy trouxe como linha de frente a tapeçaria voltada exclusivamente para a decoração de paredes, o Arazzo. Houve o interesse em resgatar estas peças como obras de arte. Os trabalhos expostos foram baseados principalmente nos quadros de Tarsila do Amaral e de Gilvan Samico.

A Ornare, loja de móveis, utilizou sua matéria prima como pano de fundo em obras de arte no formato de coração em uma ação focada ao bem. No coquetel promovido pela empresa, diversos convidados puderam adquirir os corações em uma ação beneficente.

A Estar Móveis Conceito trouxe uma proposta bem arrojada em sua mostra “Emergência”. Foi destacado questões ligadas ao imediatismo vivido pelas pessoas e como essa demanda de urgência impacta no ser humano negativamente. Destacaram o uso excessivo dos medicamentos; os desequilíbrios emocionais e como tudo isso têm se refletido na produção artística.

Já a feira Rosenbaum ocorreu na “A CASA – museu do objeto brasileiro” e como não podia ser diferente, a brasilidade marcou fortemente a edição. Muitas peças expostas foram produzidas pelos moradores da região amazônica, outras por designers brasileiros preocupados no resgate das madeiras nobres e típicas do país, entre outras propostas.

Cores e texturas ligadas ao DNA da nação marcaram os produtos apresentados por artesões e artistas de todas as regiões. A gastronomia não ficou fora dessa, destacando os pães de queijo mineiro saídos na hora, para que a viagem pelo Brasil ficasse completa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

(+) fotos no instagram: @renatamello.blog
Fotos: Renata Mello

Em breve mais novidades!

Exposição: Harpias XXI

Por: Renata Mello

DSCN7596a

Artista: Maria Augusta Justi Pisani – Foto: Renata Mello, 2018

A última quinta (23) foi coroada com a inauguração da exposição “Harpias XXI” no Centro Histórico e Cultural da Universidade Mackenzie – SP. Esta pulsante mostra artística apresenta as inquietudes da alma materializadas em quadros e instalações criados por Maria Augusta Justi Pisani e Fanny Feigenson.

A figura feminina permeia as obras, retratando a fúria e ao mesmo tempo o acolhimento, num processo criativo que busca a harmonia e o equilíbrio após um estado de fúria e desorientação.

Neste sentido a representação da Harpia, figura mitológica grega que retrata uma mulher com garras que busca alinhar e reajustar os desvios de conduta do ser a partir da justiça, aparece como ponto central nos trabalhos e convida o expectador a esta viagem interior de limpeza e purificação. 

Um mostra forte e transformadora!

Confira mais fotos no Instagram: @renatamello.blog