Gestão Urbana e Sustentabilidade

Por: Renata Mello

“Gestão Urbana e Sustentabilidade” é a temática do livro organizado por Gilda Collet Bruna e Arlindo Phillip Jr. que será lançado pela editora Manole no próximo dia 13 de Setembro na Universidade Presbiteriana Mackenzie em São Paulo.

Esta publicação contou com a participação de 74 autores, entre eles a arquiteta Renata Lima de Mello que foi responsável pelo capítulo “Cidade para as pessoas: da acessibilidade, do desenho urbano e universal”. Neste trabalho a profissional compilou seus conhecimentos adquiridos ao longo de 18 anos na área da acessibilidade abordando aspectos relevantes para o planejamento urbano.

O lançamento dessa obra acadêmica é aberto a todos os interessados e contará com uma mesa redonda onde os autores apresentarão pontos relevantes do universo da sustentabilidade e gerenciamento das cidades. Vale a pena conferir!

Convite GU&S_2018

Fonte: Editora Manole
Anúncios

Ecotoy: Predador

Renata Mello participou das ações do Projeto ECOTOY ART em 2011 e recebeu como desafio a criação de um boneco sustentável a partir de embalagem plástica reciclada e materiais descartados de obras arquitetônicas.

Para esse trabalho separou uma embalagem de amaciante, durepoxi branco, tintas spray, fita crepe, arame, barbante, lixas, parafusos, ralo, acabamento de registro e materiais de elétrica e tefefonia, tais como: espelhos, tomadas e módulos de RJ45.

Abaixo, seguem algumas etapas desta criação:

processo-4 Processo (10).JPG processo-12
Etapas de confecção do Ecotoy
Fotos: Renata Mello

Resultado final

predador-frente
De frente   

predador-perfil

 De Lado predador-costas
 De costas 

Sustentabilidade na Habitação Social no Brasil: Conjunto Maravilha em Fortaleza

Artigo apresentado no 3 ° Congresso Internacional – Sustentabilidade e Habitação de Interesse Social em 2014

Sustentabilidade na Habitação Social no Brasil: Conjunto Maravilha em Fortaleza

Autoras:

Maria Augusta Justi Pisani
Profa. Dra. PPPG FAU UPM, Mackenzie, Brasil. E-mail: augustajp@gmail.com

Gilda Collet Bruna
Profa. Dra. PPPG FAU UPM, Mackenzie, Brasil. E-mail: gildacbruna@gmail.com

Renata Lima de Mello
Profa. Me. FAU FIAM FAAM, Brasil. E-mail: renatamello@bioarq.com.br

Erika Ciconelli de Figueiredo
Profa. Me. FAU Mackenzie, Brasil. E-mail: erikadfr@gmail.com

Resumo: A avaliação da sustentabilidade em projetos de habitação de interesse social no Brasil é relevante tendo em vista que os edifícios consomem aproximadamente a metade da energia gerada no planeta e o déficit habitacional brasileiro passa dos seis milhões de unidades. Este artigo é parte da produção do projeto de pesquisa “Habitação Social no Brasil: projetos e sustentabilidade no século XXI” da Faculdade de Arquitetura da Universidade Presbiteriana Mackenzie, com fomento do CNPq. O objetivo deste trabalho é analisar a sustentabilidade do Conjunto Maravilha na cidade de Fortaleza, promovido pela Fundação de Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza, a partir dos quesitos apontados em manuais de avaliação e certificação de projetos e construções sustentáveis. O método aplicado compreendeu as etapas de: levantamento de dados secundários, levantamentos de campo com a aplicação de roteiro que contemple os quesitos de: qualidade urbana; projeto e conforto; eficiência energética; conservação de recursos materiais; gestão da água e práticas sociais. Esse roteiro foi elaborado a partir do Selo Casa Azul da Caixa Econômica Federal. Os resultados desta pesquisa demonstram que: há possibilidades de se produzir habitações de interesse social, contanto que o conhecimento técnico e científico disponível no Brasil seja aplicado desde a fase de projeto. Os
resultados desta pesquisa serão divulgados, juntamente com os demais conjuntos habitacionais analisados pelo grupo de pesquisa, para que seus parâmetros alimentem novas propostas projetuais de habitação social mais sustentável.

Palavras-chave: Habitação Social; Sustentabilidade na habitação; Conjunto Maravilha.

Click para ler: Artigo completo

Bibliografia:

PISANI, M.A.J.; BRUNA, G.C.; MELLO, R.L.; FIGUEIREDO, E. C.. Sustentabilidade na Habitação Social no Brasil: Conjunto Maravilha em Fortaleza. In: 3 ° CONGRESSO INTERNACIONAL – SUSTENTABILIDADE E HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL , 2014, Porto Alegre/RS. Anais eletrônicos… Porto Alegre: 3 ° Congresso Internacional – Sustentabilidade e Habitação de Interesse Social, 2014.

Croatá Laguna Ecopark: Smart City

No interior do Ceará está sendo construída uma cidade inteligente e sustentável contemplando habitações de interesse social dentro dos valores do Minha Casa Minha Vida

Por: Renata Mello 

A futura cidade brasileira inteligente e sustentável foi batizada como Croatá Laguna Ecopark e está localizada em Croatá, interior do Ceará, em uma posição estratégica, próxima do Porto do Pecém, Complexo Industrial e a 55 Km de Fortaleza.

Localização do empreendimento
Fonte: https://vimeo.com/108733232. Acesso em 19 Jan/ 2016. 

Devido ao potencial da região, principalmente do Porto, que se prevê ser o segundo maior do país em movimentação de cargas até 2025, atraiu o interesse de investidores italianos, que decidiram construir um projeto inovador no estado cearense.

A empresa Planet Idea de Turim recebeu o desafio de conceber o projeto arquitetônico e urbanístico para uma área de 327,77 hectares, onde foram implantados 15% de área verde, 5% de uso institucional, 5% de interesse social, 20% de viário, além de áreas para fins industriais, residenciais e comerciais.

Setorização da cidade
Fonte: https://vimeo.com/108733232. Acesso em 19 Jan/ 2016. Modificado pelo autor.

 O projeto situado em uma área periférica, foi planejado para possuir toda a infraestrutura de água, luz, energia, transporte, além de usos distintos do território e tecnologias para dar suporte aos moradores da região, sempre dentro dos preceitos da sustentabilidade.

Dentre as inovações previstas destacam-se:

1.       Habitações de Interesse Social que atendam as premissas do programa Minha Casa Minha Vida e que disponham de qualidade arquitetônica.

2.       Planejamento urbano focado na diversidade de usos, favorecendo para o encurtamento das viagens, estimulando os deslocamentos a pé e por bicicleta, com o intuito de minimizar os impactos ambientais e melhorar a qualidade de vida.

3.       Reaproveitamento das águas pluviais e de esgoto.

4.       Praças contendo equipamentos esportivos para gerar energia.

5.       Gestão da iluminação pública computadorizada.

6.       Rede elétrica subterrânea.

7.       Otimização das necessidades energéticas para os edifícios.

8.       Aplicativo para smartphones destinado aos moradores da cidade inteligente, possibilitando uma interação local entre as pessoas. Objetiva-se também o desenvolvimento de programas sociais, como hortas urbanas, bibliotecas digitais, entre outras.

9.       Empréstimos de bicicletas e motos, a fim de estimular o espírito comunitário.

10.   Vias dimensionadas e segregadas para atender adequadamente os pedestres, veículos e bicicletas.

Vista do Boulevard
Fonte: https://vimeo.com/108733232. Acesso em 19 Jan/ 2016. Modificado pelo autor.

As premissas expostas para essa cidade trazem intrinsicamente a aplicação da sustentabilidade nas esferas sociais, energéticas, econômicas e ambientais, implantadas não somente na arquitetura, mas também em práticas comunitárias. Outro aspecto relevante, refere-se à inserção da habitação social conectada a todos os setores, como comércios e serviços, além da preocupação com a qualidade do projeto das casas ofertadas, impactando positivamente na harmonia do conjunto arquitetônico e na qualidade de vida dos moradores. 

Bibliografia:

https://vimeo.com/108733232. Acesso em 19 Jan/ 2016.

COMUNITÀ ITALIANA. Rio de Janeiro: Editora Comunità LTDA, n. 206, 10 set. 2015.p. 20-22.