Barcelona: Hospital Santa Creu i Sant Pau

Por: Renata Mello

PORTUGUÊS

Barcelona é uma cidade que possui muitas obras singulares da arquitetura mundial, tendo como destaque as instalações do antigo “Hospital Santa Creu i Sant Pau”. Esse local possui um impressionante conjunto arquitetônico idealizado originalmente por 48 pavilhões destinados a saúde, os quais foram projetados pelo arquiteto modernista catalão Lluís Domènech i Montaner no ano de 1901. Concretamente apenas 27 edifícios foram construídos entre 1902 a 1930, mas somente 16 seguiram o projeto original.

Montaner estudou o que havia de vanguarda para a época do ponto de vista médico, tecnológico e arquitetônico e propôs soluções espaciais que nasciam em função das necessidades humanas. Após um período de pesquisas, o arquiteto projetou edifícios com numerosas janelas, implantados estrategicamente no terreno segundo a importância de suas funções dentro do sistema hospitalar. Além disso, os prédios foram posicionados para facilitar a entrada de luz natural, a ventilação constante e permitir o contato visual entre o interior e o jardim proposto, criando uma atmosfera salubre. As soluções adotadas favoreciam a pronta recuperação dos pacientes e melhoravam as condições laborais dos médicos e demais trabalhadores.

Efetivamente as atividades do complexo se iniciaram em 1916 e foram até 2009, mas desde 1997 é considerado Patrimônio Mundial da UNESCO, transcendendo sua importância inicial. Atualmente o antigo “Hospital Santa Creu i Sant Pau” está aberto à visitação e convida aos amantes das artes e da boa arquitetura a desfrutar deste lugar que encanta os olhos e traz paz a alma.

A seguir encontra-se uma exposição fotográfica contendo imagens captadas por Renata Mello, durante visita realizada em setembro de 2019. Desfrutem!

Este slideshow necessita de JavaScript.

ESPAÑOL

Barcelona es una ciudad que tiene muchas obras únicas de arquitectura mundial, destacando las instalaciones del antiguo “Hospital Santa Creu i Sant Pau“. Este sitio tiene un impresionante conjunto arquitectónico diseñado originalmente por 48 pabellones de salud, que fueron diseñados por el arquitecto modernista catalán Lluís Domènech i Montaner en el año 1901. Específicamente, solo se construyeron 27 edificios entre 1902 y 1930, pero 16 siguieron el proyecto original.

Montaner estudió lo que estaba a la vanguardia de la época desde un punto de vista médico, tecnológico y arquitectónico, y propuso soluciones espaciales que nacieron en respuesta a las necesidades humanas. Después de un período de investigación, el arquitecto diseñó edificios con numerosas ventanas, ubicadas estratégicamente en el suelo de acuerdo con la importancia de sus funciones dentro del sistema hospitalario. Además, los edificios se colocaron para facilitar la entrada de luz natural, ventilación constante y permitir el contacto visual entre el interior y el jardín propuesto, creando una atmósfera saludable. Las soluciones adoptadas favorecieron la pronta recuperación de los pacientes y mejoraron las condiciones de trabajo de los médicos y otros trabajadores.

De hecho, las actividades del complejo comenzaron en 1916 y fueron hasta 2009, pero desde 1997 se considera Patrimonio de la Humanidad por la UNESCO, trascendiendo su importancia inicial. Hoy en día, el antiguo “Hospital Santa Creu i Sant Pau” está abierto a los visitantes e invita a los amantes de las artes y la buena arquitectura a disfrutar de este lugar que deleita los ojos y trae paz al alma.

A continuación, se muestra una exposición fotográfica que contiene imágenes tomadas por Renata Mello durante una visita realizada en septiembre de 2019. ¡Disfruta!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Pavilhão Alemão de Barcelona

Por: Renata Mello

PORTUGUÊS

O Pavilhão Alemão projetado pelo arquiteto Mies van der Rohe foi construído para uma exposição internacional que ocorreu na cidade de Barcelona em 1929 e se tornou um importante símbolo do Movimento Moderno. Esse edifício emblemático também conhecido pelos arquitetos como Pavilhão Barcelona, existiu até 1930, quando foi desmontado.

Pela relevância da linguagem do edifício e novas soluções técnicas para a época, decidiu-se reconstruir este edifício a partir dos documentos originais, tendo como data de inauguração o ano de 1986. Atualmente os amantes de arquitetura podem percorrer os espaços abertos do Pavilhão, admirar a escultura localizada ao fundo e sentar em uma “Cadeira Barcelona” para desfrutar da paisagem ao redor. Uma parada obrigatória aos estudantes e arquitetos que passam pela cidade catalã.

Confira o álbum com fotos atuais: 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Renata Mello, 2018

Para saber mais: “Um passeio virtual pelo Pavilhão de Barcelona de Mies van der Rohe” do Arch Daily

 

Pabellón Alemán de Barcelona

ESPAÑOL

Por: Renata Mello

El Pabellón Alemán proyectado por el arquitecto Mies van der Rohe fue construido para una exposición internacional que tuvo lugar en la ciudad de Barcelona en 1929 y se convirtió en un importante símbolo del Movimiento Moderno. Este edificio emblemático también conocido por los arquitectos como Pabellón Barcelona, ​​existió hasta 1930, cuando fue desmontado.

Por la relevancia del lenguaje del edificio y nuevas soluciones técnicas para la época, se decidió reconstruir este edificio a partir de los documentos originales, teniendo como fecha de inauguración el año 1986. Actualmente los amantes de la arquitectura pueden recorrer los espacios abiertos del Pabellón, admirar la escultura ubicada al fondo y sentarse en una “Silla Barcelona” para disfrutar del paisaje circundante. Una parada obligada a los estudiantes y arquitectos que pasan por la ciudad catalana.

El álbum con fotos actuales:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Renata Mello, 2018

Para saber más: “Un paseo virtual por el Pabellón de Barcelona de Mies van der Rohe” del Arch Daily

Casa Batlló: Antoni Gaudí

Por: Renata Mello
PORTUGUÊS
A Casa Batlló é uma parada obrigatória para quem visita Barcelona e é amante das artes e da arquitetura. A construção é de autoria do reconhecido arquiteto modernista catalão Antoni Gaudí (1852-1926).
Essa obra se destaca na paisagem urbana por possuir um estilo próprio, apresentando formas orgânicas inspiradas na natureza. A fachada é multicolorida por ladrilhos e vidros que se harmonizam com os terraços brancos em formato de máscaras. O cenário só muda no dia de “Sant Jordi” (São Jorge), quando flores vermelhas são adicionadas as sacadas em celebração ao santo.
Dizem que a cobertura da casa remete as escamas de um dragão e a cruz de 4 pontas associa-se a espada de São Jorge, por isso esse emblemático edifício muda sua roupagem durante essa comemoração.
Não somente o exterior vale ser apreciado. O interior do edifício é uma viagem surreal que o visitante pode experimentar. Além dos elementos físicos existentes, é possível solicitar um audioguia com realidade aumentada que transmite cenas de como os espaços eram originalmente compostos, permitindo uma imersão mais completa.
A casa é cheia de detalhes. Antoni Gaudí buscou projetar todos os elementos construtivos da casa, desde a maçaneta, os vitrais, os ladrilhos, até os revestimentos da cobertura. O resultado é surpreendente. Vale a visita!
Confira a seguir algumas imagens criadas a partir de fotos extraídas em visita recente a Casa Batlló.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Renata Mello, 2018
ESPAÑOL
La Casa Batlló es una parada obligada para quien visita Barcelona y es amante de las artes y la arquitectura. La construcción es de autoría del reconocido arquitecto modernista catalán Antoni Gaudí (1852-1926).
Esta obra se destaca en el paisaje urbano por poseer un estilo propio, presentando formas orgánicas inspiradas en la naturaleza. La fachada es multicolor por azulejos y vidrios que se armonizan con las terrazas blancas en forma de máscaras. El escenario sólo cambia el día de Sant Jordi, cuando las flores rojas se agregan los balcones en celebración al santo.
Se dice que la cubierta de la casa remite las escamas de un dragón y la cruz de 4 puntas se asocia con la espada de San Jordi, por lo que ese emblemático edificio cambia su ropaje durante esa conmemoración.
No sólo el exterior vale ser apreciado. El interior del edificio es un viaje surrealista que el visitante puede experimentar. Además de los elementos físicos existentes, es posible solicitar un audioguía con realidad aumentada que transmite escenas de cómo los espacios eran originalmente compuestos, permitiendo una inmersión más completa.
La casa está llena de detalles. Antoni Gaudí buscó proyectar todos los elementos constructivos de la casa, desde la manija, los vitrales, los ladrillos, hasta los revestimientos de la cubierta. El resultado es sorprendente. ¡Vale la visita!
A continuación algunas imágenes creadas a partir de fotos extraídas en una visita reciente a Casa Batlló.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Renata Mello, 2018

Em Foco: Isabelle Borges

Por: Renata Mello

DSCN8097a

Foto: Renata Mello, 2018
A artista plástica brasileira Isabelle Borges apresenta uma obra abstrata com forte influência carioca e berlinense devido sua permanência e formação cultural nestas duas cidades.
Seu processo criativo é muito peculiar! Isabelle sempre busca inspiração em um lago localizado em Berlim, onde costuma captar através de fotos, a vegetação que nasce nestas águas. Após esse registro, adota o recurso da colagem, para sobrepor linhas e formas sobre estas fotografias, com o intuito de destacar as principais composições, numa busca incessante de dar ordem ao caos.
Seus trabalhos ora em colagem ora em pintura, trazem sempre a sensação de movimento, numa comunhão entre o tempo e o espaço efêmero. Já suas cores costumam ser sintéticas, como expressa a própria artista. Elas nascem durante um processo muito introspectivo da criadora com sua obra. Nada é premeditado em termos cromáticos. É durante o processo de pintura que as nuances e as cores tomam vida.
Outro ponto marcante de sua produção é que nem sempre suas telas se limitam a este espaço, avançando até os planos arquitetônicos. A foto deste post retrata um exemplo desta conexão entre a arte e a arquitetura e pode ser conferida na exposição “Campos Sintéticos” da galeria Emmathomas até dia 27 de Outubro.
Um trabalho expressivo, que vale a pena conferir!
+ fotos no instagram: @renatamello.blog

Em foco: Arte e Design

Por: Renata Mello

Nas últimas semanas de Agosto, a cidade de São Paulo recebeu inúmeros eventos ligados a arte e ao design, agraciando os apreciadores destes segmentos. Ocorreu a ABCasa Fair, a SP-Arte foto e a Design Weekend. Esta última com eventos espalhados por toda a cidade.

Foram inúmeras novidades apresentadas! Confira a seguir um balanço de cada evento:

. ABCasa Fair: A feira contou com expositores ligados aos segmentos de presentes, utensílios domésticos e decoração. Como novidade trouxeram muitos acessórios ligados ao mundo Geek, como esculturas e luminárias.

Já os quadros figurativos foram marcantes no universo da decoração retratando através de fotos, os animais silvestres, as cenas urbanas ou os elementos geométricos, muitas vezes com imagens compostas em mais de uma peça .

Os painéis com mensagens curtas e pontuais também se destacaram, trazendo uma proposta mais despojada para os ambientes. Além disso, foi possível encontrar diversos elementos que remetessem a asas de anjo ou de borboleta e os rosados flamingos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

(+) fotos no instagram: @renatamello.blog
Fotos: Renata Mello

. SP- Arte foto: Essa mostra de fotografia ocorreu no JK Iguatemi e movimentou o mercado das galerias e museus de arte. Quem circulou pelos espaços pôde conferir muitas fotografias oriundas de processos experimentais. A artista Paula Clerman compôs sua obra a partir da desconstrução da paisagem para recriar uma nova, fundamentada nas linhas compositivas. Já Guilherme Ghisoni criou suas imagens com base em pesquisas ligadas a filosofia da fotografia. Como resultado construiu obras que retratam o somatório da parte e do todo ao mesmo tempo. 

O Gabriel Wickbold usou como base rostos associados a elementos naturais como flores e frutos para criar fotos marcantes e expressivas. Outro fotógrafo de destaque foi Robério Braga que trouxe a força e a beleza da mulher e sua conexão com o espaço arquitetônico. Em paralelo o artista David LaChapelle manteve sua irreverência e ousadia para compor imagens únicas, alinhadas ao seu estilo artístico.

Este slideshow necessita de JavaScript.

(+) fotos no instagram: @renatamello.blog
Fotos: Renata Mello

. Design Weekend – SP: Os eventos ocorridos durante a semana compreendida entre os dias 29/08 a 02/09 agitaram a vida dos arquitetos, artistas e designers. Foram mais de 300 atividades em 120 locais. Lógico que foi humanamente impossível passar por todas as instalações.

Dentre os diversos acontecimentos foi possível conferir o espaço da By Kamy, da Ornare, da Estar Móveis Conceito e da Feira Rosenbaum. Cada local apresentou algo muito particular.

A By Kamy trouxe como linha de frente a tapeçaria voltada exclusivamente para a decoração de paredes, o Arazzo. Houve o interesse em resgatar estas peças como obras de arte. Os trabalhos expostos foram baseados principalmente nos quadros de Tarsila do Amaral e de Gilvan Samico.

A Ornare, loja de móveis, utilizou sua matéria prima como pano de fundo em obras de arte no formato de coração em uma ação focada ao bem. No coquetel promovido pela empresa, diversos convidados puderam adquirir os corações em uma ação beneficente.

A Estar Móveis Conceito trouxe uma proposta bem arrojada em sua mostra “Emergência”. Foi destacado questões ligadas ao imediatismo vivido pelas pessoas e como essa demanda de urgência impacta no ser humano negativamente. Destacaram o uso excessivo dos medicamentos; os desequilíbrios emocionais e como tudo isso têm se refletido na produção artística.

Já a feira Rosenbaum ocorreu na “A CASA – museu do objeto brasileiro” e como não podia ser diferente, a brasilidade marcou fortemente a edição. Muitas peças expostas foram produzidas pelos moradores da região amazônica, outras por designers brasileiros preocupados no resgate das madeiras nobres e típicas do país, entre outras propostas.

Cores e texturas ligadas ao DNA da nação marcaram os produtos apresentados por artesões e artistas de todas as regiões. A gastronomia não ficou fora dessa, destacando os pães de queijo mineiro saídos na hora, para que a viagem pelo Brasil ficasse completa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

(+) fotos no instagram: @renatamello.blog
Fotos: Renata Mello

Em breve mais novidades!

Gestão Urbana e Sustentabilidade

Por: Renata Mello

“Gestão Urbana e Sustentabilidade” é a temática do livro organizado por Gilda Collet Bruna e Arlindo Phillip Jr. que será lançado pela editora Manole no próximo dia 13 de Setembro na Universidade Presbiteriana Mackenzie em São Paulo.

Esta publicação contou com a participação de 74 autores, entre eles a arquiteta Renata Lima de Mello que foi responsável pelo capítulo “Cidade para as pessoas: da acessibilidade, do desenho urbano e universal”. Neste trabalho a profissional compilou seus conhecimentos adquiridos ao longo de 18 anos na área da acessibilidade abordando aspectos relevantes para o planejamento urbano.

O lançamento dessa obra acadêmica é aberto a todos os interessados e contará com uma mesa redonda onde os autores apresentarão pontos relevantes do universo da sustentabilidade e gerenciamento das cidades. Vale a pena conferir!

Convite GU&S_2018

Fonte: Editora Manole

Luz na Arquitetura Hospitalar

Por: Renata Mello

DSCN6145.JPG

A arquitetura hospitalar tem se transformado ao longo dos séculos. Antes eram grandes salões com camas lado a lado onde os doentes eram tratados pelos médicos e assistentes. Ao longo do século XX os ambientes de saúde foram se transformando em espaços mais privativos, porém impessoais e frios. Nos últimos 20 anos este cenário tem sofrido novas alterações em decorrência da tecnologia e avanços em pesquisas que comprovam os impactos positivos sobre a recuperação das pessoas em condutas e locais mais humanizados.
Dentro deste panorama, cheios de desafios aos arquitetos que reformam ou desenvolvem novas instalações em edifícios ligados a saúde, foi desenvolvido o livro “Luz na Arquitetura Hospitalar” de autoria da Neide Senzi que discute a importância da iluminação no contexto da humanização destes ambientes. 
O lançamento desta publicação ocorreu dia 11 na loja da Puntoluce Gabriel contando com a palestra da autora e seus convidados Siegbert Zanettini e João Carlos Bross que tiveram participação especial nesta edição.
Como resultado das apresentações realizadas por esta equipe de gabaritados profissionais, é possível dizer que: os novos rumos da arquitetura voltada a saúde estão ligados ao equilíbrio entre a razão e a sensibilidade. O processo construtivo deve ser cada vez mais industrializado e otimizado, enquanto os ambientes resultantes devem emocionar e permitir maior flexibilidade de uso, conforme as necessidades e preferência dos usuários. 
Neste contexto, o projeto de iluminação artificial deverá contemplar a criação de cenas mais aconchegantes e outras mais eficientes a prática de procedimentos. Já a iluminação natural deve ser reinserida dentro destes espaços, inclusive nas unidades de tratamento intensivo. Tal medida, permitirá que o ciclo natural do organismo seja restabelecido, melhorando a vida dos que trabalham e dos pacientes que permanecem grandes períodos dentro dos hospitais.
Os desafios não se encerram na iluminação, uma vez que a telemedicina, a robótica em cirurgias e outras inúmeras novidades estão crescendo dentro desta temática, mas é certo que as condutas e locais serão mais humanizados. O futuro está sendo desenhado, mas os arquitetos deverão estar cada vez mais conectados as novas transformações.